terça-feira, 14 de outubro de 2008

Como é que se escreve mesmo, heim?

É essa pergunta que você provavelmente irá fazer antes de escrever qualquer coisa a partir do início do próximo ano. Uma questão que vem dando bastante dor de cabeça não só a jornalistas, mas a todos é a do novo Acordo Ortográfico. A implantação das novas regras está prevista para acontecer no Brasil a partir de janeiro de 2009. Desta forma, todos os países que tenham o Português como língua oficial (Portugal, Brasil, Angola, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor Leste) passarão a ter uma ortografia unificada.

Este Acordo foi assinado em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990. No Brasil, ele foi aprovado pelo Decreto Legislativo nº 54, de 18 de abril de 1995.

De 1º de janeiro de 2009 até 31 de dezembro de 2012, o país terá um período de transição. Nesta etapa, ficam valendo tanto a ortografia atual quanto as novas regras. Assim, concursos e vestibulares deverão aceitar as duas formas de escrita; a atual e a nova.

Nos livros escolares, a incorporação das mudanças será obrigatória a partir de 2010. Em 2009, podem circular livros tanto na atual quanto na nova ortografia.

Confira algumas mudanças da Língüa (Ihh.. É com ou sem trema?) Portuguesa com a reforma:

- O "k", o "w" e o "y" entram no alfabeto, que passa a ter 26 letras.

- O trema desaparece na palavras em português. Só fica em palavras estrangeiras.

- O acento agudo desaparece em ditongos abertos "ei" e "oi"; em palavras como "idéia" e "heróico", que ficariam "ideia" e "heroico".

- O acento circunflexo desaparece em palavras com duplo "o" e duplo "e"; como "vôo" e "crêem", que passam a se escrever "voo" e "creem".

- Some o acento agudo ou circunflexo que serve para diferenciar palavras. A palavra "pára" (do verbo parar), passa a não ter mais acento e a não ter diferenciação para preposição "para". Assim como "pêlo" (substantivo) que fica igual a "pelo" (combinação de "per"+"lo").

- O hífen some quando o segundo elemento da palavra começar com "s" ou "r". Então, essas consoantes devem ser dobradas, como em "contrarregra" (atualmente "contra-regra"). A exceção é para palavras em que o prefixo termina em "r", como em super-resistente, que mantém o hífen.

4 comentários:

fernando saol disse...

resumindo, uma merda de lei. O Brasil não tem mesmo com o que se preocupar.

"Hei, Reforma ortográfica, vai tomar no CÚÚÚÚÚ"

Flavio Costa disse...

Fernando.

Agradeço pelas palavras e pelo convite a escrever um artigo em seu site.

O espaço que você criou é fundamental para o exercício da prática jornalística, de fato. Não apenas meros reprodutores de notícias que já foram cuspidas em diversas mídias. Mas o jornalismo opinativo, baseado em argumentos próprios e/ou análises de conjunturas.

As pessoas são capazes de pensarem por si só. Basta estimulá-las, como você o faz.

Parabéns e assim que tiver um texto que acredite ser relevante, encaminharei para você.

PS: Não encontrei a sessão que você mencionou "A palavra é do visitante", assim como também não encontrei o seu email.

Um grande abraço!

Flavio Costa disse...

Fernando.

Quanto à última regra, em alguns casos o uso do hífen já é proibitivo.

Como ocorre com a palavra MEGASSENA. Este já é o modo correto de se escrever e não Mega-sena, Mega-Sena ou Mega Sena, como observamos normalmente nas Caixas Econômicas da vida...

Abraços!

Anônimo disse...

Olha só quem eu encontro por aqui!!!!! Meu querido Flavinhooooo!!!! Não posso perder qdo tiver um texto dele...


Ah, Nandinho...só uma palavra resume essa alteração na gramática: lamentável...

Daqui a pouco o correto será escrever "nós vai" e "a gente vamos" só pq a maioria não aprendeu a conjugar verbos.

Beijos,
Nandinha.